Tamanho do texto

Portal deverá mapear oportunidades de negócios em 929 atividades econômicas em dez setores como serviços, construção civil e comércio varejista

Foi lançado nesta terça-feira, 13, no Rio de Janeiro, um portal de negócios para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Criado com o objetivo de registrar demandas e ofertas de produtos e serviços voltadas para os grandes eventos, o portal já entrou no ar com 1.004 ofertas cadastradas, somando R$ 1,7 bilhão em negócios em potencial.

Resultado de uma iniciativa da empresa World Sports & Business, que contou com o apoio da secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico do Rio, o portal  deverá mapear oportunidades de negócios em 929 atividades econômicas em dez setores, como serviços, construção civil, tecnologia da informação e turismo.

Presidente da WSB, Hélio Viana de Freitas destaca que o portal tem como meta ajudar as empresas a conquistarem uma parcela maior dos investimentos que serão feitos para os jogos. Segundo estudos da FGV e da UFRJ, ressaltou Freitas, serão injetados R$ 200 bilhões na economia brasileira nos próximos anos, sem contar os investimentos indiretos.

Freitas conta que a WSB inspirou-se em um site lançado em Londres para facilitar a concretização de negócios durante a última Olimpíada. Este portal, acrescenta o executivo, movimentou o equivalente a R$ 7 bilhões, com cerca de 10 mil oportunidades publicadas.

“Nós nos espelhamos nesse modelo, mas fizemos algumas melhorias. Mais do que somente apresentar ofertas e demandas, vamos também prestar consultoria estratégica às empresas que necessitarem de apoio para apresentar seus produtos e serviços”, diz.

De acordo com projeções da WSB, 23% da demanda pelo serviço corresponderão a pequenas e médias empresas com até 10 funcionários.

“Um fabricante de panelas pode observar a organização dos jogos e imaginar que não tem nada a ver com isso. Mas, com o portal, queremos mostrar que há oportunidades para esse empresário, sim. Afinal, os novos hotéis que estão sendo construídos no estado precisarão comprar panelas, pratos e lençóis, entre outros itens”, exemplifica Freitas.

Ele ressalta que, se os empreendedores brasileiros não estiverem preparados para oferecer produtos e serviços, o País perderá a oportunidade de movimentar sua economia com os grandes eventos nos próximos anos. “O que não falta é escritório de representantes de produtos da China”.

As oportunidades mapeadas serão disponibilizadas no portal gratuitamente. Para acessá-las, as empresas precisam apenas fazer um cadastro. Ao informar o CNPJ, a empresa tem sua atividade identificada pelo sistema da WSB e será encaminhada diretamente às demandas de seu segmento.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.