Tamanho do texto

AutoZone busca 15% do mercado brasileiro e tem meta de abrir entre 12 e 15 lojas próprias em São Paulo em cerca de um ano, para depois expandir o modelo para outras regiões

Reuters

Loja AutoZone em Miami, na Florida
Getty Images
Loja AutoZone em Miami, na Florida

A maior rede de lojas de autopeças dos Estados Unidos, AutoZone, anunciou nesta quinta-feira sua chegada ao Brasil, no primeiro investimento da companhia fora da América do Norte e de olho em um mercado automotivo que se tornou o quarto maior do mundo.

A empresa, que faturou US$ 8,6 bilhões no último ano fiscal encerrado em agosto, avalia potencial para conquistar 15% de um fragmentado mercado brasileiro de varejo de autopeças calculado como valendo entre US$ 25 bilhões e US$ 30 bilhões.

"Nós temos cerca de 15% do mercado nos EUA e achamos que isso é um bom parâmetro para o Brasil", disse o presidente-executivo da AutoZone, Bill Rhodes, a jornalistas, afirmando que o investimento da companhia para o país é da ordem de dezenas de milhões de dólares.

Apesar de evitar cravar prazos ou valores precisos de investimentos, o executivo afirmou que a empresa tem como meta inicial abrir entre 12 e 15 lojas próprias no Estado de São Paulo em cerca de um ano, para depois expandir o modelo para outras regiões do país.

"Estamos entusiasmados com o Brasil, mas vamos entrar devagar. Vamos abrir algumas lojas antes de revisarmos nosso modelo", afirmou.

A rede já abriu uma primeira loja em Sorocaba, no interior de SP, no final de setembro, que servirá como modelo para ajustar os sistemas da empresa ao mercado nacional.

A chegada da companhia ao país acontece em um momento em que o mercado brasileiro de veículos caminha para o sexto recorde consecutivo de vendas em 2012, para cerca de 3,8 milhões de unidades, e com a indústria vendo potencial para 6 milhões em 2020.

Segundo Rhodes, a AutoZone estudou entrada no Brasil durante cinco anos e dependendo do sucesso que obtiver no país avaliará expansão para outros mercados da região. "Se provarmos modelo no Brasil, teremos confiança para crescer", disse o executivo, acrescentando que o ambiente de negócios no país "é muito análogo ao do México".

A primeira expansão internacional da AutoZone ocorreu no México, com inauguração de uma primeira loja em 1998. Hoje a companhia tem 321 lojas mexicanas, além de 4.685 nos EUA.

"O Brasil pode ser um enorme mercado para nós. Há grande potencial nos próximos 10 anos. Conforme a economia e o mercado de veículos crescem, a procura por serviços como 'faça você mesmo' vai aumentar porque o custo de mão de obra também está subindo", disse vice-presidente de desenvolvimento corporativo da AutoZone, Robert Olsen.

A operação brasileira será comandada por Maurício Braz, ex-executivo da General Motors e da Toyota.

Os executivos não informaram quando a empresa pretende abrir sua primeira loja na capital paulista, onde enfrentará concorrentes nacionais como MercadoCar, Voli e Jocar.

(Por Alberto Alerigi Jr., edição Roberta Vilas Boas)


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.