Tamanho do texto

Presidente-executivo da empresa busca transferir o foco da segunda maior rede de varejo do mundo aos principais mercados e reduzir a carga de dívida após anos de desempenho fraco

Reuters

O francês Carrefour disse nesta quarta-feira que fechou a venda de suas operações na Malásia por 250 milhões de euros, incluindo ações e dívida, para a Aeon, maior operadora de supermercados do Japão.

A venda --efetivada nesta quarta-feira-- é a mais recente operação arquitetada pelo novo presidente-executivo do Carrefour, Georges Plassat, que busca transferir o foco da segunda maior rede de varejo do mundo para seus principais mercados e reduzir a carga de dívida após anos de desempenho fraco.

O Carrefour é a quarta maior rede de varejo na Malásia com 26 hipermercados, que trouxeram 400 milhões de euros em vendas nos 12 meses até 30 de junho.

MaisCarrefour lança cartão com foco em alta renda

"A transação é parte da estratégia do Carrefour de alterar o foco de suas principais atividades e alocar seus recursos em países maduros onde ocupa posições fortes e estabelecidas e mercados emergentes onde tem forte potencial de crescimento", disse a empresa em comunicado.

A Aeon, por sua vez, busca fontes de lucro no exterior, já que suas operações em seu país natal foram prejudicadas por uma queda em gastos do consumidor, redução na população e uma persistente deflação.

O Carrefour recentemente firmou acordo para vender suas lojas na Colômbia para a chilena Cencosud por 2,6 bilhões de dólares.

TambémCarrefour vende ativos na Colômbia à chilena Cencosud

O varejista francês também planeja fechar sua unidade em Cingapura até o fim do ano e deixou a endividada Grécia em julho em meio à queda em vendas.

Plassat deixou claro que o Carrefour continuará no Brasil e na China, mas analistas esperam que a empresa abandone suas operações na Indonésia, Turquia, Romênia e Taiwan, levantando de 1 bilhão a 3 bilhões de euros com as vendas dessas operações.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.