Tamanho do texto

Receita cresceu cerca de 1% apesar do cancelamento de voos, com acordos de negócios com a British Airways e com a Iberia na região do Atlântico e com a Japan Airlines

Reuters

A AMR, controladora da American Airlines, divulgou resultados trimestrais melhores que o esperado nesta quinta-feira, na medida em que os custos com combustíveis diminuíram e alianças internacionais auxiliaram a receita.

A companhia que pediu proteção contra falência em novembro e está avaliando uma potencial fusão com o US Airways Group, citou progressos na redução de custos.

A receita cresceu cerca de 1% apesar do cancelamento de voos, com acordos de negócios com a British Airways e com a Iberia na região do Atlântico e com a Japan Airlines, no Pacífico, que levaram a American mais passageiros de classe executiva, que pagam mais.

A AMR registrou uma margem operacional trimestral de 4,1%. O analista Ray Neidl, do Maximum Group, espera 9% para a Delta Air Lines e 7,4% para a US Airways.

A companhia registrou maior prejuízo líquido no terceiro trimestre, chegando a 238 milhões de dólares, ou 0,71 dólar por ação, ante 162 milhões de dólares, ou 0,48 dólar por ação, na comparação anual.

Excluindo itens extraordinários, a AMR registrou um lucro de 0,33 dólar por ação, superando em 0,05 dólar a previsão de analistas, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S. A receita subiu 0,8% para 6,43 bilhões de dólares.

A receita subiu 0,8%, para 6,43 bilhões de dólares. As despesas operacionais subiram 0,6%, mas os gastos com combustíveis caíram 3,3%.

(Por Karen Jacobs)

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.