Tamanho do texto

Grupo que opera mais de 4,4 mil hotéis que incluem a rede de luxo Sofitel e a rede de preços mais acessíveis Ibis prevê lucrar até R$ 1,409 bilhão

Reuters

A Accor, maior grupo hoteleiro da Europa, disse que o crescimento de sua receita desacelerou no terceiro trimestre à medida que as condições de negócios pioraram na região sul da Europa, que atualmente enfrenta recessão.

A companhia francesa, que opera mais de 4,4 mil hotéis que incluem a rede de luxo Sofitel e a rede de preços mais acessíveis Ibis, disse que se mostra relativamente otimista em relação ao final do ano, já que a demanda na Ásia e na América Latina ainda é sólida. A companhia manteve suas projeções de receita e lucro operacional para o ano.

A Accor projeta "demanda robusta sustentada" no quarto trimestre, incentivada pelo salão do automóvel de Paris, uma alta na atividade de convenções em Londres e um calendário ainda favorável de conferências de comércio, entre outros fatores.

A Accor disse que ainda prevê que seu lucro antes de juros e impostos (EBIT) fique entre 510 e 530 milhões de euros (R$ 1,409 bilhão), ante 515 milhões de euros (R$ 1,369 bilhão) em 2011, reajustado com a venda da rede norte-americana de hotéis de baixos preços Motel 6.

A Accor, que fica atrás das redes InterContinental, Marriott e Starwood no mercado global, disse que as vendas no terceiro trimestre atingiram 1,485 bilhão de euros.

A receita cresceu 1,3% em base anual, frente a 3,1% no segundo trimestre.

A companhia, que vendeu sua rede Motel 6 por US$ 1,9 bilhão em maio, está acelerando seu crescimento em mercados emergentes e apressando sua transição para um modelo de negócios de "poucos ativos" --operando mais hotéis sob contratos em vez de controlá-los-- para reduzir sua dívida.

(Reportagem de Dominique Vidalon)

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.