Tamanho do texto

Varejista americana, que cresceu no Brasil com aquisições e abriu cerca de 50 lojas por ano em 2011 e 2012, vai focar na padronização dos sistemas no ano que vem

Agência Estado

O Walmart vai colocar o pé no freio no seu processo de abertura de lojas no Brasil em 2013, disse na quarta-feira o presidente do Walmart Brasil, Marcos Samaha, em Porto Alegre. A varejista americana, que cresceu no Brasil com aquisições e abriu cerca de 50 lojas por ano em 2011 e 2012, vai focar na padronização dos sistemas no ano que vem.

O grupo deve fechar 2012 com cerca de 550 pontos de venda em todo o País. Segundo Samaha, o Walmart centrará seus esforços em implementar um sistema único nos pontos de venda, substituindo os existentes desde a aquisição do Sonae do Brasil e da rede BomPreço. A primeira loja que passou por essa migração começou a operar na quarta-feira, em Curitiba. No total, 400 unidades da rede passarão pela alteração.

Samaha disse que a estratégia de crescimento mais lento nos pontos de venda não afeta, necessariamente, a possibilidade de aquisição de novos varejistas. “A expansão do Walmart é baseada na abertura de novas lojas e em aquisições. Só não vamos ter o estômago maior do que o cérebro”, disse. Ou seja, a rede não deve fazer compras apenas para ter uma participação de mercado maior.

O executivo também comemora o bom desempenho da estratégia comercial “Preço baixo todo dia”, adotada em 2011 no Brasil e que prevê a manutenção de preços menores constantemente, em vez da realização de megapromoções. Segundo Samaha, a mudança de posicionamento é responsável pelo crescimento de 6,5% no tíquete médio das vendas no segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2011. Ele não disse, no entanto, qual é o valor médio gasto nas lojas. “É a prova numérica de que o cliente gosta”, avaliou. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.