Tamanho do texto

A empresa que nasceu da fusão da rede mineira Ricardo Eletro com a baiana Insinuante em 2010, acaba de contratar a agência paulista Fischer & Friends para gerenciar a conta publicitária da marca Ricardo Eletro

Agência Estado

Depois de comprar três redes em dois anos e chegar a todas as regiões do País, a Máquina de Vendas quer mais. A empresa ainda não tem lojas na cidade de São Paulo, mas já está avaliando como entrará nesse mercado, disse o presidente da Máquina de Vendas e fundador da rede Ricardo Eletro, Ricardo Nunes, em entrevista ao 'Estado'.

O primeiro passo já foi dado. A empresa, que nasceu da fusão da rede mineira Ricardo Eletro com a baiana Insinuante em 2010, acaba de contratar a agência paulista Fischer & Friends para gerenciar a conta publicitária da marca Ricardo Eletro. A empresa vai trabalhar em parceria com a agência mineira Pro Brasil, um modelo que pode ser estendido às outras redes do grupo no futuro.

“É um primeiro passo para começar a conviver com pessoas que têm o domínio do mercado de São Paulo”, disse Nunes, sem revelar quando pretende iniciar a operação na capital paulista. “Mas que nós vamos para São Paulo você pode ter certeza.”

A Fischer & Friends está desenvolvendo um estudo para a Máquina de Vendas sobre oportunidades para a empresa entrar no mercado paulista. À frente do projeto está o executivo Allan Barros, sócio da agência e ex-diretor de marketing das redes Casas Bahia, Marabraz e da própria Insinuante.

Além da conta publicitária, a agência também será responsável por desenvolver estudos de planejamento comercial para a rede, que soma 1,1 mil lojas e estima faturar R$ 9 bilhões neste ano. De acordo com Nunes, a Máquina de Vendas não tem planos de comprar outras redes. "A nossa prioridade é colocar a casa em dia. Fizemos muitas aquisições num tempo curto e hoje temos 1,1 mil lojas e cinco bandeiras para trabalhar.

Agora a máquina está montada. O foco nos próximos dois anos é fazer valer as sinergias de todo esse grupo." Ele explica que isso será conquistado através da unificação da operação, que está se dando aos poucos.

"Já temos um centro compartilhado de serviços em Salvador e um de compras em Belo Horizonte, que atendem todas as bandeiras. Agora, com a contratação da Fischer, vamos começar a centralizar a publicidade, para a comunicação ficar mais organizada", disse Nunes. Ele explicou também que a contratação da agência foi o primeiro passo para entrar no mercado paulista. Nunes ainda não sabe quando isso vai ocorrer, mas afirma que a bandeira será a Ricardo Eletro, que atua na região Sudeste. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.