Tamanho do texto

Em crise, governo de Portugal precisa vender a companhia aérea até o fim do ano, como prevê o programa de resgate do país com seus credores internacionais

Agência Estado

As companhias aéreas Lufthansa e IAG - controladora da British Airways e da espanhola Iberia - desistiram de participar do leilão da portuguesa TAP, cuja primeira rodada de ofertas foi concluída na última sexta-feira (14).

As duas empresas tinham manifestado interesse preliminar na companhia aérea de Portugal, e a desistência ressalta os desafios que o governo português enfrenta para vender a empresa em meio às difíceis condições para o setor. O governo de Portugal precisa vender a TAP até o fim do ano, como prevê o programa de resgate do país com seus credores internacionais, mas o prazo é desafiador.

A maior parte das companhias aéreas da Europa está se debatendo com operações domésticas não vantajosas que são usadas para alimentar o tráfego aéreo para destinos mais lucrativos de longa distância, onde a competição das concorrentes asiáticas vem crescendo. Uma porta-voz da IAG informou que o interesse da companhia pela TAP diminuiu nos últimos meses. Já a Iberia vem tendo uma performance apagada em meio à grave crise bancária que a Espanha enfrenta.

Em agosto, a IAG alertou que espera registrar uma pequena perda nas suas operações neste ano. A alemã Lufthansa também desistiu de fazer uma oferta pela TAP, segundo fonte familiarizada com a situação. A companhia tem dito que está concentrada em administrar seus negócios e custos atuais. As informações são da Dow Jones.