Tamanho do texto

Estratégia é diversificar atividade de prestação de serviços

A explosão dos negócios imobiliários no país nos últimos anos melhorou os resultados de empresas do setor, mas para as que atuam na internet, onde o alcance dos negócios depende da evolução do meio digital, o desempenho não foi a contento. Ao menos, na opinião do fundo de investimentos Tiger Global, que há dois anos adquiriu o portal de classificados Imovelweb.

Leia também:  Novos megaprédios mudam a cara de avenidas empresariais de São Paulo

O fundo tem planos de triplicar os negócios em curto prazo e para isto vem promovendo um choque de gestão nos negócios, que inclui até a diversificação dos serviços oferecidos. Por enquanto, a principal mudança é está na ampliação da equipe. Além da contratação de um novo CEO — Roberto Nascimento, ex-Lopes, que entrou no time em maio—, a empresa ampliou em 30% o número de pessoal, chegando a 100 funcionários. Para comportar a nova equipe, a empresa teve até de mudar de endereço em São Paulo.

Nascimento afirma que, visualmente, ainda não é possível ver as mudanças no site, mas a oferta de anúncios já acompanham o crescimento físico. “Saímos de uma oferta de 100 mil anúncios em maio para 200 mil, com aumento de presença em outros estados além de São Paulo”, explica.

A Imovelweb tem unidades em Campinas, Santos, Rio e Belo Horizonte. Recentemente, a empresa entrou também em Curitiba com a aquisição de um site de classificados, o ImóveisCuritiba e também no Balneário Camboriú, em Santa Catarina, com a compra do Imovelpro. Este último atua no desenvolvimento de soluções para o mercado imobiliário, uma área em a Imovelweb quer crescer.

“Hoje nosso maior desafio não é competir com o Zap Imóveis ou o Viva Real, mas sim capacitar os corretores sobre o alcance do classificados online”, explica. De acordo com Nascimento, as empresas que atuam no mercado de classificados online disputam um universo de 4 mil corretoras, que estão preparadas para trabalhar com o universo online, sendo que há mais de 150 mil corretores registrados no país. A empresa estuda, inclusive, fazer outras aquisições na área de tecnologia para área imobiliária a fim de alavancar sua participação regional. “O negócio imobiliário é eminentemente local, as grandes de tecnologia não desenvolvem produtos para esta área”, diz.

Ajudar a capacitar os corretores para vender no mundo online também está entre as missões da Imovelweb, que vai iniciar um ciclo de palestras com objetivo de ensiná-los a potencializar o canal web. “A qualidade de nosso serviço depende diretamente da resposta dos corretores aos cliente. Para a gente funcionar, eles têm de funcionar”, lembra o executivo, que garante que a cada R$ 1 investido no Imovelweb, os corretores têm de volta R$ 6 em comissão.

Nascimento afirma que, por enquanto, não pode divulgar os dados de faturamento da empresa, mas diz que sua meta é crescer no segundo semestre em 40% o faturamento do portal, sobre o resultado do primeiro semestre. Em 2013, sua meta é alavancar em 50% os negócios.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico