Tamanho do texto

BHP e Rio Tinto abandonam plano de parceria em minério de ferro

MELBOURNE, Austrália (Reuters) - BHP Billiton e Rio Tinto abortaram os planos de formar a maior joint-venture mundial de produção de minério de ferro, marcando uma vitória para siderúrgicas e um movimento que pode fazer ambas mineradoras acelerar planos de expansão para concorrer entre si.

O fracasso do aguardado negócio representa a segunda tentativa frustrada em três anos do presidente-executivo da BHP, Marius Kloppers, de adquirir os ativos de minério de ferro da Rio Tinto, e reforça o poder das siderúrgicas, que temiam que a parceria resultaria em forte controle de preços.

O anúncio feito nesta segunda-feira deixa a BHP totalmente focada na oferta hostil de 39 bilhões de dólares pela fabricante de fertilizantes Potash Corp, sem se preocupar com a joint-venture de 116 bilhões de dólares com a mineradora australiana.

Uma união entre Rio Tinto e BHP, segunda e terceira maiores produtoras de minério de ferro no mundo, poderia ofuscar a atuação da Vale, maior fornecedora mundial da commodity, e teria resultado em mais de 10 bilhões de dólares em economia de custos ao combinar operações de transporte ferroviário e marítimo.

BHP e Rio Tinto tinham a opção de dividir parte da infraestrutura em minério de ferro, no caso da joint-venture fracassar, mas este "plano B" permanece incerto, considerando a oposição que se criou entre reguladores de concorrência para a parceria.

Analistas estimavam que o plano B levaria a pelo menos metade das economias previstas com a planejada joint-venture.

Agora, as mineradoras terão de revisar as objeções feitas pelos reguladores quanto aos planos de fusão para avaliar se uma colaboração mais modesta seria permitida, segundo uma fonte próxima ao processo.