Tamanho do texto

EUA proibiram sucos concentrados brasileiros de entrar no país por causa dos limites de fungicida acima do permitido

selo

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) informou, nesta quinta-feira, que o número de cargas rejeitadas de suco de laranja importado pelo país com limites de carbendazim acima do permitido - estável em 24 nas duas últimas semanas - aumentou para 27 nesta semana.

Os dados constam na atualização semanal das avaliações feitas pela FDA e incluem as análises realizadas desde o começo de janeiro. Das cargas rejeitadas, 14 são do Brasil, ante 12 na semana anterior. Do total de cargas brasileiras vetadas, 12 foram recusadas e duas retidas. As cargas retidas estão sujeitas à recusa e o importador tem de comprovar à FDA que a bebida está compatível com a admissão.

Outras 12 cargas rejeitadas são do Canadá - que importa o suco de laranja brasileiro e o reexporta para os Estados Unidos - o mesmo número da semana anterior. Além disso, uma carga da República Dominicana foi detida, a primeira desse país desde o início da ação da FDA. As cargas detidas e recusadas tinham limites de carbendazim - princípio ativo de fungicidas proibido nos Estados Unidos desde 2009 - acima das 10 partes por bilhão (ppb) permitidas pela FDA.

De acordo com o órgão sanitário dos Estados Unidos, desde o começo de janeiro até esta semana amostras de 107 cargas de suco de laranja, concentrado e congelado (FCOJ) ou não concentrado e congelado (NFC), foram analisadas e 78 deram negativo para resíduos de carbendazim acima do limite permitido, ante 76 no boletim da semana passada. Das 78 cargas negativas até agora, 63 já foram liberadas.