Tamanho do texto

De acordo com a pesquisa, o setor cresceu 3,28% ao ano durante o Plano Quinquenal, bem abaixo da meta de 4%

selo

O governo da Índia prevê que o crescimento do setor agrícola do país alcançará 2,5% no ano fiscal atual, que termina em 31 de março, segundo pesquisa econômica anual do governo, divulgada nesta quinta-feira. As razões não foram explicadas pela pesquisa, mas analistas disseram que, em parte, estão ligadas ao fato de que o setor teve de crescer a partir de uma base mais alta.

De acordo com a pesquisa, um relatório anual divulgado pelo ministério das finanças, o setor agrícola cresceu 3,28% ao ano durante o Plano Quinquenal que termina em 31 de março, bem abaixo da meta de 4% do governo. "A perspectiva para o próximo ano fiscal continua boa, mas devido ao rápido aumento da demanda por comida, há uma necessidade de considerar (novas) opções de políticas para assegurar uma perspectiva melhor ainda no médio prazo", disse a pesquisa.

Uma das opções seria importar commodities agrícolas mais constantemente, em pequenas quantidades, elevando o limite permitido, segundo o documento. "Um teto mais alto pode ser decidido anualmente, com certa antecedência". A Índia, maior importador mundial de óleos comestíveis e legumes, tem se voltado regularmente às importações para garantir a estabilidade doméstica de preços. A inflação no país subiu novamente para 6,95% em fevereiro após queda nos dois meses anteriores.

A Índia teve inflação acima de 9% durante o acumulado de 12 meses até novembro, mas o banco central disse esperar que fique próxima a 7% no fim de março. Embora atualmente tenha estoques suficientes de grãos e açúcar, o país costumava importar trigo e arroz no passado. Devido a essa natureza incerta, a demanda de importação da Índia tem um impacto ampliado sobre os preços globais.

Apontando a mudança nos hábitos de consumo da população, que passou a comprar alimentos mais caros, como frutas e vegetais, a pesquisa disse que o governo precisa determinar áreas específicas para a produção desses alimentos no país e apoiar agricultores que cultivam produtos de menor oferta. A pesquisa também sugeriu reformas abrangentes no mercado agrícola para permitir maior competitividade e preços melhores.

O objetivo é eliminar os intermediários que se aproveitam dos mercados menos expressivos, pagando preços mais baixos para agricultores, mas inflacionando os preços do varejo. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.