Tamanho do texto

O governo russo divulgou um decreto que suspende em 1º de janeiro de 2011 o embargo às exportações de farinha adotado no verão como resposta à seca que ameaça elevar os preços no país, informou a agência RIA Novosti.

O governo russo divulgou um decreto que suspende em 1º de janeiro de 2011 o embargo às exportações de farinha adotado no verão como resposta à seca que ameaça elevar os preços no país, informou a agência RIA Novosti.

Com o decreto, as farinhas de trigo e centeio ficam excluídas da lista de cereaies afetados pelo embargo.

No entanto, prossegue o embargo às exportações de trigo, cevada, centeio e milho.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, confirmou o prosseguimento do embargo às exportações de grãos até 1º de julho de 2011.

Diante de uma seca e de uma onda de calor sem precedentes, que também provocou incêndio florestais, a Rússia reduziu as previsões de colheitas de cereais a 60-65 milhões de toneladas, contra 95 milhões de toneladas inicialmente previstos.

A meta do embargo, segundo Moscou, era conter a alta de preços provocada pela queda nas colheitas.

O embargo da Rússia, um dos maiores exportadores mundiais, provocou uma disparada da cotação do trigo nos mercados internacionais.

bfi/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.