Tamanho do texto

A OCDE ainda disse que intervenções no mercado devem ser um último recurso possível

selo

As políticas agrícolas para reduzir a pobreza em países em desenvolvimento podem se concentrar em investimentos estratégicos para expandir a produtividade e colher os benefícios dos elevados preços agrícolas, afirmou nesta sexta-feira a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Em relatório, a OCDE disse que intervenções no mercado devem ser um último recurso possível.

O relatório propôs três abordagens para fortalecer a renda rural: aumentar a produtividade e a competitividade do setor agrícola; ajudar as famílias a diversificar as fontes de renda; e promover empregos não agrícolas e mais bem pagos. Intervenções de mercado, como garantiras de preço e subsídios para insumos, devem ser um último recurso, disse a OCDE, pois tratam os sintomas do subdesenvolvimento, e não as causas.

"Há um perigo de que os subsídios para insumos possam ter um efeito de curto prazo na elevação da renda, mas eles podem desviar os recursos (que poderiam ser destinados) a outras coisas que elevariam a renda de forma mais sustentável no longo prazo", afirmou o economista Jonathan Brooks, durante o lançamento do relatório.

"Entretanto, se uma pequena quantidade de subsídios for adotada junto a um investimento em infraestrutura rural, isso pode ser um investimento complementar, ajudando uma economia mais pobre a sair das armadilhas da pobreza", acrescentou.

Tais intervenções podem incluir esforços do governo para conter os efeitos de movimentações extremas nos preços sobre produtores e consumidores, ou estímulos a mercados agrícolas com subsídios estratégicos para sementes e fertilizantes, avalia a Organização. A OCDE afirmou que os governos que resolvem praticar tais ações precisam implantar também políticas para um melhor desempenho no longo prazo, o que inclui um investimento maior em bens públicos como infraestrutura rural e pesquisa agrícola.

Segundo a OCDE, muitas das principais políticas de redução da pobreza estão fora do setor agrícola, como uma melhora da educação rural e da saúde básica, assim como os investimentos de modo geral. A instituição alertou que isso depende também da paz e da estabilidade política, de sólido gerenciamento macroeconômico, de fortes instituições e de uma boa governança. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.