Tamanho do texto

O bom desempenho é resultado do aumento do preço médio do café, que também vêm batendo recordes nos últimos meses

selo

A receita cambial com exportação de café (verde, solúvel e torrado e moído) no acumulado dos últimos 12 meses, até maio, é recorde de US$ 7,023 bilhões. O resultado faz parte de levantamento do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), divulgado nesta terça-feira.

O bom desempenho é resultado do aumento do preço médio do café, que também vêm batendo recordes nos últimos meses. Em maio, o preço médio ficou em US$ 269,59 a saca de 60 kg, ante US$ 252,03 em abril, US$ 240,40 em março e US$ 227,55 em fevereiro. Nos últimos 12 meses, até maio, foram embarcadas 34.392.379 sacas.

De acordo com dados do Cecafé, de janeiro a maio deste ano a receita cambial aumentou 71% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento alcançou US$ 3,27 bilhões, ante US$ 1,91 bilhão em 2010.

O volume da exportação brasileira de café nos primeiros cinco meses totaliza 13,61 milhões de sacas, representando aumento de 11% em relação ao ano anterior (12,24 milhões de sacas). Desse total, o volume de café verde exportado pelo Brasil no período subiu 13%. Foram embarcadas 12,34 milhões de sacas, em comparação com 10,92 milhões de sacas em 2010.

Do total de grão verde exportado no período, o embarque de arábica teve aumento de 7%, de 10,65 milhões de sacas para 11,37 milhões de sacas.

Já o volume de café conillon teve elevação de 268% no período, de 264.922 sacas para 975.292 sacas. Quanto ao desempenho das exportações de café solúvel, o levantamento do Cecafé mostra redução de 4% no período, em volume. Foram embarcadas 1,26 milhão de sacas em equivalente de café solúvel, em comparação com 1,32 milhão de sacas em 2010.

Nos cinco primeiros meses do ano, os dados do balanço mostram que os maiores mercados importadores de café do Brasil foram: Europa, com 55% do total; seguida pela América do Norte, com 23%; Ásia, com 16%; e América do Sul, com 3%. Os Estados Unidos lideram a lista dos países que mais importaram café do Brasil com 20% do total (2.703.185 sacas). Em seguida está a Alemanha, com 19% (2.551.385 sacas importadas); Itália, com 9% (1.223.269 sacas), e Bélgica, com 8% (1.124.124 sacas). O Japão segue em quinto lugar, com 7% do total importadas (905.339 sacas).

Os embarques no período de janeiro a maio ocorreram principalmente pelo Porto de Santos, por onde saiu 78,4% do total exportado (10.662.963 sacas), seguido do Porto de Vitória, que escoou 13,7% do total (1.858.227 sacas) e pelo Porto do Rio de Janeiro, com embarque de 5,9% do total (797.785 sacas).

Maio

O volume de café exportado pelo Brasil em maio apresentou aumento de 3,7% em relação ao mesmo mês de 2010. Foram embarcadas 2,62 milhões de sacas, ante 2,53 milhões de sacas em maio do ano passado. A receita cambial em maio teve elevação de 79,1% em relação ao mesmo mês de 2010, melhor resultado dos últimos cinco anos. Os exportadores faturaram US$ 706,9 milhões, em comparação com US$ 394,7 milhões em maio do ano passado. Considerando o tipo de café exportado em maio, 78% foi arábica, 9% solúvel e 13% robusta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.