Tamanho do texto

Meta da empresa é ampliar de 60 milhões para 100 milhões de toneladas a moagem anual de cana

selo

O presidente da Raízen , Vasco Dias, afirmou hoje que a recém-criada joint venture da fusão de operações entre Shell e Cosan investirá US$ 7 bilhões (R$ 11,07 bilhões) no País nos próximos cinco anos. A maioria dos investimentos - cerca de US$ 5 bilhões - será para ampliar a produção de etanol, açúcar e energia elétrica cogerada e o restante irá para a rede de postos de combustíveis e operações de logística da Raízen.

"A meta é ampliar de 60 milhões para 100 milhões de toneladas a moagem anual de cana das usinas", disse Dias, que participou da plenária de encerramento do Ethanol Summit, em São Paulo. A companhia possui ainda quatro projetos de novas unidades sucroalcooleiras que fazem parte do investimento. Dias não descartou ainda aquisições de unidades, chamas de greenfields, mas considerou difícil os investimentos em brownfields, ou seja, na ampliação de usinas já existentes.

"Não é falta de dinheiro e de apetite da companhia, já que temos o plano aprovado para esse investimento de US$ 7 bilhões; o direcionamento (dos investimentos) depende das ofertas de mercado e os greenfields, por exemplo, já estão anunciados", afirmou o executivo. O presidente da Raízen afirmou ainda que "os dois sócios acreditam que o etanol terá papel fundamental na produção de energia no País no futuro" e que a transformação do combustível em commodity, com a negociação no mercado mundial, é uma meta da empresa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.