Tamanho do texto

Segundo Banco Mundial, queda se deu após preocupações sobre a demanda e a sombria perspectiva econômica terem impacto mercados

selo

O preço médio da maioria das soft commodities e dos grãos novamente caiu em dezembro, informou hoje o Banco Mundial (Bird), conforme as preocupações sobre a demanda e a sombria perspectiva econômica impactaram os mercados agrícolas. As cotações do cacau recuaram em dezembro pelo quinto mês consecutivo, para 219,70 cents por quilo, queda de 31% na comparação com julho.

Ofertas abundantes na África Ocidental e expectativas melhores com relação à safra 2011/12 devem puxar o mercado para baixo neste ano. O açúcar também registrou o quinto mês seguido de declínio, atingindo 50,79 cents por quilo, 18% abaixo do nível observado em julho.

Leia mais: Saxo Bank vê potencial de alta para preços de commodities

A previsão é de preços menores em 2012, conforme o mercado passa para um superávit de oferta pela primeira vez em três temporadas. Em dezembro, o café arábica se desvalorizou pelo terceiro mês consecutivo, para 521,90 cents por libra-peso, baixa de 14% ante setembro, enquanto o grão robusta encareceu pela primeira vez em sete meses, alcançando 217 cents por quilo.

Apesar da alta de 2,6 cents por quilo no mês passado, o preço do robusta ainda está 19% abaixo do valor praticado em maio. Analistas preveem que o café recue ainda mais por causa das amplas colheitas no Brasil e no Vietnã, mas os reduzidos estoques devem manter os riscos elevados.

Veja também : Preço das commodities devem continuar enfraquecendo, diz EIU

No complexo de grãos, o milho em dezembro teve o quarto mês seguido de depreciação, tocando US$ 258,65 por tonelada, queda de 17% em relação a agosto, de acordo com o Banco Mundial. Analistas esperam preços mais baixos neste ano, com uma produção recorde prevista para o final de 2012.

Já o trigo soft vermelho dos EUA caiu pelo quarto mês consecutivo, para US$ 244,70 por tonelada, 12% abaixo do patamar visto em agosto. A direção das cotações deve ser neutra nos próximos 12 meses, à medida que a segunda maior safra mundial já registrada alivia os fundamentos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.