Tamanho do texto

Serviço sanitário paraguaio confirmou ausência do vírus no distrito de Araguay-Amistad

O Governo paraguaio suspendeu o estado de emergência sanitária animal que havia sido declarado há mais de dois meses em um distrito do departamento de San Pedro por conta de uma alta de febre aftosa em bovinos. Um comunicado, as autoridades paraguaias explicam que o decreto do chefe de Estado, Fernando Lugo, se baseia em uma resolução do serviço veterinário, que, por sua vez, confirmou "a ausência de atividade viral" na região.

O estado de emergência entrou em vigência no distrito de Aguaray-Amistad (em San Pedro), a cerca de 350 quilômetros de Assunção, pela aparição de um foco de aftosa em 23 bovinos de uma fazenda. Anteriormente, as autoridades já haviam detectado a presença de outro foco neste mesmo local. Um dos principais exportadores de carne bovina no mundo, o Paraguai se encontra em uma fase de recuperação de um primeiro surto de aftosa, registrado em setembro de 2011.

Na ocasião, o país foi obrigado a suspender de forma preventiva suas exportações de carnes e também sua condição de país livre desse mal com vacinação. A alta da doença também resultou uma troca na direção do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa), já que Félix Otazú foi nomeado no lugar de Daniel Rojas, cuja gestão foi questionada pelos criadores de gado do país. A febre aftosa ataca a bovinos, ovinos, suínos, caprinos e outros animais ruminantes, porém, não chega afetar os seres humanos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.