Tamanho do texto

País decretou quarentena em Aguaray-Amistad, cidade com altos índices de febre aftosa nas cabeças de gado

O governo do Paraguai decretou nesta quarta-feira estado de emergência sanitária animal em um povoado do departamento (estado) de San Pedro, no centro do país, onde há dois dias foi divulgada uma alta no número de casos de febre aftosa.

O decreto assinado pelo presidente Fernando Lugo determina a ativação do Sistema Nacional de Emergência Sanitária Animal (Sinaesa), mecanismo oficial que deverá implementar estado de quarentena em Aguaray-Amistad, cidade com altos índices de aftosa.

Leia mais : Paraguai afirma que aftosa não afetará exportações

O Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) reportou neste município, na última segunda-feira, o surgimento de um novo foco de aftosa em 23 cabeças de gado da fazenda "Nazareth", três meses depois da detecção desse mal em uma propriedade vizinha.

Oitavo maior exportador mundial de carne bovina, com um rebanho de 12,5 milhões de cabeças, o Paraguai estava em processo de recuperação de um primeiro episódio, registrado no ano passado e que levou ao sacrifício de 820 animais e à suspensão, de forma preventiva, de suas exportações de carne, segunda fonte de divisas do país, depois da soja.

Veja também : Exames confirmam foco de febre aftosa no Paraguai

O diretor do Senacsa, Daniel Rojas, afirmou nota oficial que o novo foco não afetará o comércio exterior com o Brasil e outros países vizinhos, nem o tráfego para portos do Mercosul. O órgão comunicou este novo fato a órgãos internacionais do setor, e seus analistas esperam restabelecer o status do Paraguai de país livre da febre aftosa - perdido no foco anterior - em 18 meses. A doença ataca bovinos, ovinos, suínos, caprinos e outros ruminantes, mas não os seres humanos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.