Tamanho do texto

Franceses acertam compra de laranja dos cooperados por dez anos

selo

A aquisição da unidade processadora de suco de laranja em Paranavaí (PR) junto à Cocamar, na sexta-feira, pela Louis Dreyfus Commodities (LDC), finalizou a disputa entre a multinacional de origem francesa e a brasileira Cutrale. Segundo fontes da Agência Estado, o principal fator para a vitória da LDC, após meses de negociação, foi a parceria firmada com a Cocamar que garante a compra da fruta dos cooperados por dez anos.

Infográfico: Da muda ao copo: conheça o processo de produção do suco de laranja brasileiro

"A proposta da Cutrale era mais agressiva, mas a companhia não aceitava a intermediação e a parceria da Cocamar na compra da fruta; queria negociar diretamente com os produtores", disse uma fonte. "Com isso, a preferência da cooperativa ficou com a LDC", completou.

Com o acordo, a LDC adquiriu a fábrica com capacidade de processar 7 milhões de caixas de 40,8 quilos de laranja por safra e já anunciou a intenção de criar uma estrutura logística para transformar o sistema de exportação, hoje feito por tambores, para granel, em caminhões-tanque.

Em entrevista na sexta-feira, Henrique Freitas, diretor da Divisão de Citros da LDC, citou várias vezes a parceria com a Cocamar. "É um relacionamento de várias décadas em várias áreas da companhia com a Cocamar, como café e insumos, que se ampliará agora", disse o executivo. Com a aquisição da unidade no Paraná, a LDC chega a quatro unidades produtoras de suco de laranja no País - as três outras ficam nas cidades paulistas em Matão, Bebedouro e Engenheiro Coelho.

A companhia atinge uma capacidade de processar em torno de 80 milhões de caixas de laranja por safra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.