Tamanho do texto

Proposta é postergar para 31 de julho de 2012 parcelas das operações de custeio prorrogadas de safras anteriores

selo

O governo federal quer prorrogar as parcelas dos contratos de crédito dos produtores rurais situados nos municípios da região Sul com situação de emergência ou calamidade pública decretada, disse nesta quinta-feira o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro.

A proposta, que ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é postergar para 31 de julho de 2012 as parcelas com vencimento entre 1º de janeiro a 30 de junho de 2012 das operações de custeio prorrogadas de safras anteriores, de créditos de investimento e de custeio da safra 2011/2012. Para o governo, o novo prazo permitirá a elaboração de laudos de perdas, garantindo a cobertura das operações com seguro agrícola.

Leia mais : Emater estima perdas de R$ 2,2 bilhões por estiagem no Rio Grande do Sul

A próxima reunião do CMN está marcada para o dia 26 deste mês. O Palácio do Planalto também quer criar uma linha de crédito de R$ 200 milhões para as cooperativas refinanciarem dívidas de produtores rurais localizados nessas regiões. O crédito terá prazo de até cinco anos, a uma taxa de juros de 6,75% ao ano.

"Os governos Estaduais estiveram permanentemente em contato conosco, buscando dados, verificando o numero dos municípios e propriedades afetados", afirmou Ribeiro, após reunião com o ministro Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário). Mendes Ribeiro deve viajar neste sábado para o Rio Grande do Sul e na segunda-feira para Santa Catarina para acompanhar de perto os efeitos da estiagem.

De acordo com o governo, mais de 85% do crédito de custeio na região afetada pela seca está coberto com seguro agrícola, incluindo Banco do Brasil e instituições privadas. "Já temos 19 mil notificações de perda por unidade produtiva. Se atingirmos 100 mil, o volume de desembolso pode chegar a aproximadamente R$ 680 milhões", disse Florence.

O governo também disponibilizou R$ 18 milhões para o Rio Grande do Sul utilizar em ações de assistência à população, como a recuperação de poços, aquisição de cisternas e contratação de carros-pipa. Além disso, serão destinados R$ 10 milhões para cada um dos três Estados da região investirem em projetos de prevenção.

Veja também : Pacote para combater estiagem no Sul deve ser anunciado na sexta

"Estamos disponibilizando recursos de R$ 10 milhões para cada um dos três Estados para investimentos em ações estruturantes que resolvam de forma permanente o problema da estiagem", disse o diretor do Departamento de Articulação e Gestão da Defesa Civil, Cristiano Heckert.

Será instituído um centro de monitoramento móvel para a prevenção de desastres na região Sul, composto por técnicos da Agricultura, Desenvolvimento Agrário, Integração Nacional, Agência Nacional de Águas (ANA) e Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas