Tamanho do texto

Recursos seriam destinados à expansão da capacidade produtiva e dos canaviais, integração da rede de gasodutos e logística

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estima desembolsar entre R$ 30 bilhões e R$ 35 bilhões ao setor sucroalcooleiro de 2011 a 2014, segundo o presidente da instituição, Luciano Coutinho.

Os recursos, explica Coutinho, seriam direcionados à expansão da capacidade produtiva e dos canaviais, integração da rede de gasodutos, melhoria da logística e desenvolvimento tecnológico. "Precisamos acelerar os investimentos, começando pela renovação dos canaviais", destacou após participar do Ethanol Summit 2011, em São Paulo.

Neste ano, comentou o presidente do BNDES, os financiamentos do BNDES ao setor seguem o mesmo ritmo observado em 2010. Não foram fornecidos, entretanto, dados sobre as operações. No ano passado, o BNDES liberou R$ 7,6 bilhões para projetos em açúcar e álcool.

Desse total, segundo Coutinho, quase R$ 4 bilhões foram direcionados à compra de máquinas e equipamentos, dentro do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Ele ressaltou que o BNDES tem buscado ampliar a mecanização no setor, fator "essencial para evitar jornadas de trabalho excessivas, que eram o principal problema trabalhista do setor".

"Agora nós vamos partir para um outro perfil de investimento. A mecanização vai continuar, porque o PSI está vigente, mas temos que pensar na expansão dos canaviais e entrar em novos projetos de usinas", afirmou.

A expectativa do BNDES é de que ao longo dos próximos meses cresça a procura por financiamentos, já que, de acordo com Coutinho, o setor sucroalcooleiro projeta aumento de demanda e já se percebe insuficiência de oferta. "Não há problema de demanda. É preciso ampliar a oferta", pontuou.