Tamanho do texto

Movimento que deve formar a segunda maior companhia de fertilizantes do país

selo

As companhias japonesas Mitsui e Sumitomo anunciaram nesta quinta-feira que vão integrar suas operações com fertilizantes e importações de matérias-primas no Japão. Em um movimento que deve formar a segunda maior companhia de fertilizantes do país, as duas companhias querem estabelecer uma joint venture de partes iguais no início do segundo semestre, com receita anual de 75 bilhões de ienes (US$ 92 milhões).

A demanda anual por fertilizantes caiu para 2,5 milhões de toneladas no Japão, ante 3 milhões de toneladas durante a última década, pois mais pessoas abandonaram a agricultura, de acordo com o gerente-geral da divisão de fertilizantes da Sumitomo, Akira Umeoka. A companhia produz e vende fertilizantes principalmente em Hokkaido e Kyushu, ilhas no norte e no oeste do Japão. A Mitsui vende matéria-prima para rações e fertilizantes para produtores e atacadistas.

"Decidimos que precisamos olhar além dos limites da companhia para manter a competitividade", afirmou Umeoka, em comunicado conjunto. "Isso vai resultar em uma boa sinergia." A Mitsui e a Sumitomo cooperaram desde março de 2010 na importação de matérias-primas para fertilizantes, pois os preços de matérias-primas como nitrogênio, fosfato e potássio subiram, em meio à crescente demanda global.

Depois da conclusão desta integração, as duas empresas vão discutir a possibilidade de expandir a cooperação em seus respectivos negócios com fertilizantes no exterior, como na produção de matérias-primas e nas vendas de produtos acabados, segundo o gerente-geral da divisão de fertilizantes da Mitsui, Kenichi Kitajima.

A demanda global por fertilizantes tem crescido cerca de 3% ao ano, com a expansão da população global, que resulta em consumo maior de alimentos, lembrou Umeoka. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.