Tamanho do texto

Grupo regional exclui o Brasil, que produz mais café arábica natural do que lavado

selo

 As exportações latino-americanas de café arábica lavado caíram 6% durante os primeiros cinco meses da safra 2011/12 em relação ao mesmo período do ciclo anterior, para 9,92 milhões de sacas de 60 quilos, informou a Associação de Café da Guatemala. O grupo regional exclui o Brasil, que produz mais café arábica natural do que lavado. Mas inclui Colômbia, México, Peru, República Dominicana e países da América Central.

A Nicarágua registrou o maior declínio nos embarques de outubro a fevereiro, com queda de 40%, para 346.719 sacas. El Salvador, Colômbia e Peru tiveram redução de 33%, 18% e 2%, respectivamente. Esses países têm sofrido com os ciclos de baixa produção, condições climáticas adversas ou ambos os fatores. O México elevou em 40% a colheita de café, para 1,02 milhões de sacas, devido à melhor produtividade e ao tempo favorável nas regiões cafeicultoras.

Honduras, República Dominicana, Costa Rica e Guatemala ampliaram a safra em 18%, 18%, 7% e 2%, respectivamente. Em fevereiro, as exportações combinadas totalizaram 2,54 milhões de sacas, estável em relação ao mesmo mês do ano passado. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.