Tamanho do texto

Governo deveria reduzir a ajuda para o setor agrícola, que vem sendo sustentado por preços altos na agricultura e na pecuária

selo

A União Nacional dos Produtores Rurais dos EUA disse nesta terça-feira que os cortes nos subsídios agrícolas incluídos na proposta orçamentária de 2013, apresentada pelo deputado republicano Paul Ryan, de Wisconsin, são muito profundos e impedem que os legisladores formulem mecanismos de longo prazo para proteger os agricultores na próxima Farm Bill (Lei Agrícola).

De acordo com a proposta, o governo deveria reduzir a ajuda para o setor agrícola, que vem sendo sustentado por preços altos na agricultura e na pecuária. O projeto de lei propõe o corte de US$ 8,2 bilhões nos pagamentos a produtores e no seguro agrícola subsidiado no ano fiscal de 2013. "Comparado a uma economia que está se recuperando lentamente, o setor agrícola dos EUA está melhorando significativamente", diz a proposta de orçamento.

"Os contribuintes não devem financiar pagamentos para um setor que é mais do que capaz de prosperar por conta própria." Segundo a União Nacional dos Produtores, no entanto, os preços altos não durarão para sempre, e por isso os programas de assistência são necessários. "Mais uma vez, vemos que o Congresso está tentando equilibrar o orçamento à custa do setor rural", disse o presidente da União, Roger Johnson.

A Farm Bill atual, aprovada em 2008, expira este ano e deputados e senadores estão trabalhando para elaborar uma nova lei, que orientará a política para o setor agrícola nos próximos cinco anos. Segundo o deputado democrata Collin Peterson, membro da Comissão Agrícola da Câmara, os cortes propostos por Ryan "apenas garantem que não haverá uma Farm Bill este ano". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.