Tamanho do texto

Volume foi 3,8% superior ao entregue em igual período do ano passado

selo

As entregas de fertilizantes ao consumidor final somaram 3,590 milhões de toneladas nos dois primeiros meses deste ano, volume 3,8% superior ao entregue em igual período do ano passado (3,460 milhões de toneladas). Os dados são da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) e foram apresentados nesta segunda-feira, durante reunião da Câmara Temática de Insumos Agropecuários do Ministério da Agricultura.

Segundo a Anda, as entregas de fertilizantes nitrogenados (N) cresceram 10,7% e passaram de 541 mil toneladas nos dois primeiros meses de 2011 para 599 mil toneladas no primeiro bimestre deste ano. A entidade atribui o aumento à maior demanda para as culturas de cana-de-açúcar, algodão, café, milho safrinha e arroz. O total de nutrientes (NPK) entregues no início deste ano alcançou 1,478 milhão toneladas, volume superior às 1,459 milhão de toneladas entregues no primeiro bimestre do ano passado.

O levantamento da Anda mostra que as entregas de fertilizantes fosfatados registraram aumento de 1,5%, passando de 401 mil toneladas em 2011 para 407 mil toneladas em 2012. A maior demanda foi para as culturas de milho safrinha, algodão e plantio de cana-de-açúcar. Nos fertilizantes potássicos foi registrada redução de 8,7%; as entregas caíram de 517 mil toneladas em 2011 para 472 mil toneladas em 2012. Mato Grosso continua liderando o consumo nacional de fertilizantes, com entregas no primeiro bimestre de 742 mil toneladas.

Em seguida se destaca São Paulo, com 568 mil toneladas, Minas Gerais, com 497 mil toneladas e Paraná, com 458 mil toneladas. A produção nacional de fertilizantes do primeiro bimestre deste ano, segundo a Anda, atingiu 1,462 milhão de toneladas, ante 1,364 milhão de toneladas em 2011. O aumento foi de 7,2%. As importações de fertilizantes intermediários somaram 2,038 milhões de toneladas no primeiro bimestre, recuo de 26,8% em relação ao mesmo período de 2011, quando foram importadas 2,738 milhões de toneladas. As reduções observadas foram de 28,3% nos fertilizantes nitrogenados, 14,7% nos fosfatados e 35,1% nos fertilizantes potássicos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.