Tamanho do texto

Chuva reduz moagem de cana na 2a quinzena de setembro

SÃO PAULO (Reuters) - As chuvas prejudicaram a moagem de cana do centro-sul do Brasil na segunda quinzena de setembro, que apresentou uma redução no volume processado de 9,2 por cento em relação ao mesmo período da temporada passada, informou nesta quinta-feira a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

A moagem na segunda metade do mês passado somou 27,2 milhões de toneladas, contra 29,9 milhões no mesmo período de 2009/10. Em relação à primeira quinzena de setembro, quando o tempo estava mais seco, o recuo no processamento foi ainda maior, de 27 por cento.

"Estamos vivenciando mais um ano atípico em termos de condições climáticas. De abril até o início de setembro, o volume de chuvas ficou muito aquém da média histórica... Já em setembro, principalmente no final do mês, as chuvas retornaram com uma intensidade maior do que a prevista, prejudicando a moagem...", afirmou o diretor-técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.

Apesar de uma redução na moagem na segunda quinzena de setembro, a produção de açúcar e etanol aumentou em relação ao mesmo período do ano passado, com a colheita apresentando um aumento na concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana, após o longo período de seca.

No período, a concentração foi de 170,16 kg de ATR por tonelada de cana, alta de 23 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

A produção de açúcar aumentou 11,5 por cento, para 1,96 milhão de toneladas na segunda metade de setembro, e a de etanol cresceu 11,9 por cento, para 1,49 bilhão de litros.

ACUMULADO DA SAFRA

No acumulado da safra 2010/11 no centro-sul, a moagem segue em alta em relação a 09/10, crescendo 17,3 por cento para 444,5 milhões de toneladas.

A Unica projeta uma moagem total para 10/11 na principal região produtora de cana do Brasil de 570,2 milhões de toneladas.

Mas algumas unidades produtoras já estão encerrando as atividades em 10/11. Segundo a entidade, até o início de outubro, oito usinas tinham terminado o processamento da safra na região, "confirmando as projeções da Unica quanto ao encurtamento da atual safra devido à antecipação da moagem, consequência do longo período de estiagem".

A produção de açúcar no acumulado da safra aumentou mais de 30 por cento ante o mesmo período de 09/10, para 27,1 milhões de toneladas.

Até 1o de outubro, a produção de etanol havia crescido mais de 20 por cento em relação à mesma época do ano passado, para 20,3 bilhões de litros, sendo 14,86 bilhões de hidratado e 5,43 bilhões de litros de anidro.

No acumulado desde o início da safra, a quantidade de ATR somou 142,10 kg por tonelada de cana, crescimento de 7,36 por cento ante igual período da safra anterior, quando chuvas em excesso afetaram a qualidade da matéria-prima.

Aliás, a Unica prevê que as chuvas no final do último mês vão reduzir a qualidade da cana que será colhida em outubro. "Esses fatores devem impactar a produção de açúcar e etanol no final da safra", acrescentou o executivo da entidade.

O indicador de precipitação pluviométrica de setembro ficou 59,2 por cento superior à média histórica para o período na região, segundo a Unica.

(Por Roberto Samora)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.