Tamanho do texto

Emater diz que precipitações no Rio Grande do Sul ajudaram a amenizar o impacto da estiagem em algumas lavouras de soja

selo

As precipitações da última semana no Rio Grande do Sul foram irregulares, mas ajudaram a amenizar o impacto da estiagem em algumas lavouras de soja. De acordo com a Emater, nos municípios onde foram registradas precipitações, os cultivares mais tardios da oleaginosa devem retomar o crescimento até a floração, o que levará as plantas a entrarem nesse estágio com porte mais adequado.

"Essa situação ainda é possível para 49% das lavouras que se encontram em desenvolvimento vegetativo, e dependerá da incidência de chuvas nos próximos dias e semanas", disse a Emater em seu relatório semanal.

As chuvas alcançaram volumes expressivos nas regiões Metropolitana, Serra do Nordeste e Litoral Norte, e chegaram com intensidade média em Passo Fundo, Lagoa Vermelha e Iraí. Na Região Central, os volumes registrados foram baixos, com apenas 22 mm em Santa Maria. Na Campanha, Missões, Fronteira Oeste e Sul praticamente não houve registro de chuvas.

Leia : Consultoria reduz safras de soja do Brasil e Argentina

Por sua vez, a Emater considera que a cultura do milho está "gravemente comprometida na maioria das regiões". Como a maior parte das lavouras encontra-se em fase de enchimento dos grãos (30%) e floração (20%), consolida-se o quadro de perdas.

Em relação à área colhida, a Emater estima que tenha atingido 14%. "Trata-se de uma aproximação, uma vez que devido às más condições de desenvolvimento das plantas e à má formação das espigas, muitas lavouras foram destinadas à alimentação animal, o que torna difícil seu monitoramento com relação à produção de grão propriamente dito", disse o órgão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas