Tamanho do texto

Preços norte-americanos caíram abaixo do valor praticado no mercado interno

selo

A China provavelmente intensificará as importações de milho, uma vez que os preços norte-americanos caíram abaixo do valor praticado no mercado interno e os produtores estão vendendo os grãos de 2011 em ritmo lento em meio às chuvas, disse hoje Shang Qiangmin, diretor do Centro Nacional de Informação de Óleos e Grãos da China (CNGOIC, na sigla em inglês).

Alguns fabricantes chineses de ração animal recentemente assinaram contratos para importar milho dos EUA diante dos elevados preços locais, mas as grandes estatais Cofco e Sinograin ainda precisam entrar no mercado, de acordo com os traders. No entanto, a oferta doméstica é suficiente após uma colheita recorde, afirmou Shang em uma conferência da indústria.

Devido às chuvas excessivas, os produtores estão adiando as vendas, limitando a oferta interna e aumentando as cotações, acrescentou ele. A Sinograin até agora comprou só 1,2 milhão de toneladas de milho colhido em 2011 para as reservas do governo, informou Song Zhiyuan, autoridade da estatal chinesa. Em 2011, 11 milhões de toneladas da safra 2010 foram adquiridas.

A demanda por milho da indústria de ração animal subirá ligeiramente neste ano, enquanto a das processadoras ficará estável, disse Song, acrescentando que deve haver um pequeno superávit de oferta. Ele afirmou também que a Sinograin não liberará milho das reservas no curto prazo, apesar dos altos preços internos. A estatal comprou mais de 3 milhões de toneladas dos EUA para as reservas no ano passado. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.