Tamanho do texto

Maior comprador da oleaginosa do mundo precisa satisfazer a forte demanda doméstica e armazenar estoques

A China deverá elevar suas importações de soja entre abril e junho de 2012, incluindo compras da colheita anterior dos Estados Unidos, uma vez que precisa satisfazer a forte demanda doméstica e armazenar estoques, disse nesta terça-feira a consultoria alemã Oil World.

A consultoria previu que a China, principal comprador de soja do mundo, importará 55,6 milhões de toneladas de soja entre outubro de 2011 e setembro de 2012, uma alta ante as 52,3 milhões do ano anterior.

Em 21 de março, um analista de uma estatal chinesa estimou que o país aumentará suas importações de soja em cerca de 25% no primeiro semestre de 2012. "Embora acreditemos que essa estimativa é um pouco otimista, é uma indicação de que a China está determinada a aumentar fortemente suas importações de soja no trimestre de abril a junho", disse a Oil World.

"Supomos que isso também vai exigir novas compras chinesas de soja da colheita anterior dos EUA, para entrega a partir de abril", afirmou a consultoria. As importações são necessárias para satisfazer uma crescente demanda da indústria processadora de oleaginosas e para elevar as reservas como colchão contra problemas climáticos e temores sobre as colheitas nos Estados Unidos durante o inverno boreal, disse.

Os preços da soja, portanto, permaneceriam elevados, segundo a Oil World. Os futuros da soja na bolsa de Chicago (CBOT) atingiram máxima recorde de seis meses pelas reduções das previsões da colheita brasileira, enquanto nos últimos dias a expectativa de uma maior demanda global de soja também deu sustentação ao mercado.

"Há uma alta probabilidade de que (os futuros da soja) superem os 14 dólares por bushel no contrato julho", disse a Oil World.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.