Tamanho do texto

Segundo Moody's, preços do produto vem caindo desde mar.o de 2011 e poderão diminuir preção no setor de vestuário

selo

A Moody's Investors Service espera que a atual queda nos preços de algodão diminua a pressão sobre as margens do setor de vestuário a partir do segundo semestre deste ano. A agência de classificação de risco diz que os preços de algodão vêm caindo desde março de 2011 e apresentavam recuo de 62% para 81 cents/lb, de um recorde de US$ 2,10.

A Moody's espera que a partir do terceiro trimestre os preços mais baixos do algodão elevem as margens brutas em 1 a 2 pontos porcentuais, na comparação trimestre sobre trimestre. "Se os preços de algodão se mantiverem estáveis, as margens continuarão a melhorar até o começo de 2013, mas tendências inflacionárias se tornariam evidentes novamente", disse o analista-sênior Scott Tuhy.

Segundo a Moody's, os maiores ganhos de margem devem ser observados em empresas que vendem peças com uso intensivo de algodão e a preços razoáveis, como a rede de lojas infantis Gymboree Corp. e a fabricante de jeans Levi Strauss & Co.

Empresas de marcas premium também se beneficiarão, mas não tanto quanto as citadas acima, já que conseguiram repassar custos aos seus clientes e tiveram uma queda menor nas margens no ano passado, disse a Moody's.

A agência também observou que custos trabalhistas em mercados emergentes continuarão a subir, o que acabará anulando alguns desses benefícios. Para empresas com presença significativa na Europa, a depreciação do euro também pode reduzir as margens, segundo a Moody's. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.