Tamanho do texto

Segundo analistas, os agricultores da região do mar Negro apostam no cultivo de soja que, além do alto retorno, ajuda a economizar no uso de fertilizantes

Reuters

KIEV/MOSCOU - A Rússia e a Ucrânia, grandes produtoras de grãos na região do mar Negro, continuarão a aumentar a produção de soja para atender à crescente demanda nacional e internacional, preveem especialistas do mercado agrícola.

Após uma média de 460 mil toneladas anuais de 2002 a 2006, a Ucrânia colheu neste ano 2,3 milhões de toneladas de soja em 1,3 milhão de hectares, segundo o Ministério da Agricultura, ante 2,26 milhões em 2011 e 1,37 milhão em 2010.

A Rússia, que destina quase toda a produção nacional de soja para processamento interno, planeja um leve aumento na safra, para 1,8 milhão de toneladas neste ano, ante 1,7 milhão em 2011. O país ainda importa 1 milhão de toneladas por ano, segundo o analista Andrei Sizov, da SovEcon.

Agricultores estão apostando no cultivo de soja para economizar em fertilizantes, já que é um excelente precursor para o milho, segundo analistas. "A Ucrânia vai produzir mais e mais soja, que permite economizar em fertilizantes e traz um bom retorno, porque a demanda externa está muito alta", afirmou Volodymyr Lapa, da consultoria Ucab.

A área destinada ao plantio de soja na Ucrânia pode chegar a 3 milhões de hectares em um futuro próximo, segundo o especialista. O país processa menos da metade da produção nacional e está se tornando um exportador líquido da commodity.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.