Tamanho do texto

Níveis moderados de seca atingiram mais de 64% da área continental dos Estados Unidos, acima dos 63,39% vistos na semana anterior, de acordo com o Drought Monitor

Reuters

O clima quente e seco continua a assolar uma grande parte das Planícies dos EUA e estados do sul do país, com a pior seca a atingir os EUA em mais de cinco décadas ampliando seu alcance sobre alguns importantes estados agrícolas.

Veja também:  Seca se agrava nos EUA e Brasil vai se tornar maior produtor de soja do mundo

Pelo menos níveis "moderados" de seca atingiram mais de 64% da área continental dos Estados Unidos, acima dos 63,39% vistos na semana anterior, de acordo com o Drought Monitor, uma compilação semanal de dados recolhidos por cientistas federais e acadêmicos.

"Esta é a maior extensão de seca que observada durante todo o verão", afirmou Brian Fuchs, climatologista do Centro Nacional de Atenuação da Seca da Universidade de Nebraska-Lincoln. "A seca está diminuindo no leste, mas estamos vendo mais dela se expandindo pela Planície Central, Montanhas Rochosas e Dakotas."

Leia mais:  Estrago causado pela seca nos EUA ainda não foi incorporado aos preços, diz Itaú

A mensuração do Drought Monitor para o pior nível da seca, "excepcional", se expandiu para 6,23% da área contígua dos Estados Unidos para a semana terminada em 11 de setembro, um aumento antes os 6,14% da semana anterior.

A seca tem sido agravada por longos períodos de temperaturas altas.

"Esse tem sido o motivo durante todo o verão, o quão quente tem estado", disse Fuchs.

As condições no Texas, Oklahoma, Kansas, Nebraska, Colorado, e Iowa pioraram, de acordo com o Drought Monitor.

O Kansas, em particular, manteve-se quase completamente ressecado, com mais de 60% do Estado considerado na "seca excepcional", e mais de 88% em seca extrema.

Os climatologistas notaram uma "expansão generalizada" da seca severa no oeste da Dakota do Norte, e disseram que a porcentagem de precipitação normal se manteve abaixo de 50% na maior parte das planícies do norte em relação ao mês passado.

Uma boa notícia é que os níveis da seca considerados "severos" e "extremos" melhoraram na última semana em todo o país. A porção dos estados contíguos dos EUA sofrendo de, pelo menos, seca "grave" caiu para 41,81%, ante 42,48%.

Leia ainda:  Quebra da safra de grãos nos Estados Unidos vai impactar inflação no Brasil

A área passando por níveis de seca "extrema" diminuiu para 21,09%, ante 21,45%.

O Arkansas, um dos estados mais gravemente atingidos pela seca, observou que a estiagem começou a recuar, com a porcentagem de seca severa ou pior caindo para 75,72%, ante 78%. O Missouri, da mesma forma, viu melhoras, bem como Illinois.

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) afirmou na quarta-feira que estima que a safra de milho norte-americana será a menor em 6 anos, e que a de soja será a mais baixa em 9 anos devido às perdas causadas pela seca.