Tamanho do texto

Estado responde por 27% da produção de aves e o quadro de descapitalização das empresas e falta de renda do produtor coloca em risco o abastecimento de carne de frango

Agência Estado

Leandro Schmidt fechou o aviário criado pelo pai há 40 anos e agora espera o início do plantio de soja para fazer bicos na lavoura
Yan Boechat
Leandro Schmidt fechou o aviário criado pelo pai há 40 anos e agora espera o início do plantio de soja para fazer bicos na lavoura

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) do Paraná solicitou ao governo federal medidas de apoio para a avicultura, que enfrenta dificuldades por causa da elevação nos custos de produção, especialmente milho e farelo de soja.

O Paraná responde por 27% da produção nacional de aves e o quadro de descapitalização das empresas e falta de renda do produtor coloca em risco o abastecimento de carne de frango no País, com reflexos negativos para a contenção da inflação e o padrão alimentar da população, diz a secretaria em nota. O setor pede a abertura emergencial de uma linha de crédito, com taxas de juros de 5,5% ao ano, com prazo de reembolso de até 72 meses, para que os abatedouros se mantenham em atividade.

Também pede uma linha de crédito especial para financiar a aquisição e fusão de empresas integradoras e a prorrogação de dívidas, por um ano, de investimentos de produtores e indústrias. Há ainda o pedido de acesso ao milho da região Centro-Oeste do País para o Paraná, como já está ocorrendo com os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e subvenção do governo federal para compra de milho para amenizar a pressão de custos.

Segundo a Seab, no Paraná, a avicultura envolve 19 mil produtores e 41 empresas integradas que geram 60 mil empregos diretos e cerca de 600 mil indiretos. No ano passado, o setor exportou 1 milhão de toneladas de carne de frango, gerando R$ 5,4 bilhões em Valor Bruto da Produção (VBP).