Tamanho do texto

Na Índia, chuvas atrasaram os carregamentos e as exportações caíram de 150 mil toneladas para 100 mil toneladas de junho para julho

Agência Estado

As exportações de milho da Índia desaceleraram consideravelmente nas últimas semanas devido ao aumento dos preços domésticos e o congestionamento nos portos, disseram nesta sexta-feira executivos e supervisores de cargas. Quase nenhuma venda foi contratada em meio ao atraso dos embarques e à incerteza sobre a próxima safra. O tempo de espera para um navio no porto de Vizag é de pelo menos 20 dias e, para o de Kakinada, é de mais de um mês.

Ambos portos ficam no sul do país. Embarques de cerca de 130 mil toneladas de milho estão na fila de espera em Kakinada, pois as chuvas recentes atrasaram os carregamentos. A Índia é um importante fornecedor de milho para o Sudeste Asiático e embarcou por volta de 3 milhões de toneladas no ano comercial que terminou em 30 de setembro de 2011. Neste ano, as exportações atingiram cerca de 2,7 milhões de toneladas. O milho indiano tem sido oferecido de US$ 290/t a US$ 295/t, FOB, alta sobre US$ 220/t a US$ 225/t há dois meses, disseram os traders.

Leia também: Seca se agrava nos EUA e Brasil vai se tornar maior produtor de soja do mundo

Os preços domésticos haviam caído ligeiramente para 11 mil rupias indianas/t (US$ 197,29) e estavam em média de 11.800 rupias/t (US$ 211,64) a 12 mil rupias/t (US$ 215,22) no início de junho, mas saltaram para 14.800 rupias/t (US$ 265,44), com entrega nos armazéns portuários. Estimativas do setor mostram que as exportações totalizaram apenas 100 mil toneladas em julho, abaixo das 150 mil toneladas em junho. A previsão é que atinjam de 125 mil a 160 mil toneladas em agosto devido ao grande atraso e a queda posterior para menos de 100 mil toneladas em setembro, avaliam supervisores de cargas e exportadores.

No momento, embarques de grandes volumes colhidos em maio no estado de Bihar estão sendo feitos para a Malásia, Indonésia e Vietnã. As últimas ofertas foram de US$ 324/t a US$ 328/t, inclusos custos e frete, para Indonésia, disseram traders. Algumas aquisições foram feitas em cerca de US$ 282/t a US$ 285/t, FOB, mas não houve registros de contratos fechados depois, segundo um trader de Mumbai.

As tradings estão relutantes em oferecer milho da próxima safra, pois as lavouras de verão estão atrasadas devido à escassez de chuvas e os preços domésticos devem subir se houver queda de produção. As lavouras de verão, que são colhidas no quarto trimestre, representam mais de 80% da produção anual do país. As informações são da Dow Jones.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.