Tamanho do texto

Segundo a agência, mudança se deve à separação do grupo JBS, que oferecia “suporte operacional e financeiro” à Vigor

A agência de classificação de risco Moody´s rebaixou de "B1" para "B2", com perspectiva estável, sua nota corporativa e de dívida sênior sem garantia de ativos reais da Vigor.

"O rebaixamento foi determinado pelo fato de que, após a conclusão da permuta de ações da Vigor com os acionistas da JBS, a empresa passou a operar de maneira independente, sem o suporte operacional e financeiro do seu ex-controlador", justificou a analista da Moody's Marianna Waltz.

Em maio do ano passado, a Vigor teve seu rating elevado de "B2" para "B1", mesma nota da JBS. A elevação refletia os "ganhos escala e poder de barganha provenientes da JBS, além de acesso a capital".

A Moody's chamou a atenção para o nível de alavancagem da companhia. Em dezembro do ano passado, a relação entre a dívida total ajustada e o Ebitda da Vigor era de 7,4 vezes, nível considerado elevado.

Além disso, pesa contra a empresa de lácteos seu tamanho "relativamente pequeno em um mercado em consolidação". "Com receitas anuais de R$ 1,2 bilhão no ano fiscal de 2011, a empresa opera no segmento de laticínios competindo com empresas locais e internacionais maiores e bem capitalizadas, incluindo Nestlé, Danone e Brasil Foods", observa Waltz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.