Tamanho do texto

De acordo com a empresa, o desempenho é resultado do fraco ritmo de crescimento das vendas de carne suína, o que encolheu as margens no período

A Smithfield Foods, maior produtora, em volume, de carne suína dos Estados Unidos, anunciou nesta quinta-feira queda de 19% no lucro no quarto trimestre fiscal. De acordo com a empresa, o desempenho é resultado do fraco ritmo de crescimento das vendas de carne suína, o que encolheu as margens no período.

O lucro do trimestre fiscal encerrado no dia 29 de abril totalizou US$ 79,5 milhões, ou 49 centavos por ação. Em igual período do ano passado, a Smithfield havia lucrado US$ 98,4 milhões, ou 59 centavos por ação. A receita de vendas cresceu 3%, para US$ 3,21 bilhões. Analistas projetavam lucro de 53 centavos por ação e receita de US$ 3,26 bilhões.

"Embora a oferta em alta da carne de porco e a demanda do varejo doméstico mais suave do que o esperado estejam exercendo efeito adverso sobre as margens da carne de porco, esperamos um aumento da rentabilidade ao longo do verão (do hemisfério norte) e do outono (do hemisfério sul), período em que as margens são tradicionalmente muito boas", disse o presidente e CEO da empresa, Larry Pope.

O Conselho de Administração da Smithfield também autorizará a companhia a recomprar o equivalente a US$ 250 milhões de ações ordinárias nos próximos dois anos. A empresa, que detém marcas como John Morrell, Armour and Farmland, registrou aumento na receita nos últimos trimestres, provocada pela demanda fortalecida no mercado externo. Mas os altos custos da ração têm pressionado o desempenho.

A companhia assumiu posições em mercados futuros para controlar os custos da ração e proteger a receita de vendas. A margem bruta caiu de 14,6% para 10,7%. Já os custos relacionados a matéria-prima subiram 7,8%. As vendas de carne de porco cresceram 1,5%, refletindo um aumento de 2,8% na comercialização do produto fresco e uma queda de 0,5% em carnes embaladas. A alta nas vendas do segmento de criação de porcos chegou a 7,9%. Os negócios internacionais tiveram crescimento de 0,3%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.