Tamanho do texto

Dívida bruta da empresa no primeiro trimestre de 2003 era de R$ 31 bilhões; Hoje, montante chega a R$ 506,5 bilhões

Aldemir Bendine, presidente da Petrobras
Wilson Dias/ABr
Aldemir Bendine, presidente da Petrobras

A dívida bruta da Petrobras atingiu o nível recorde de R$ 506,5 bilhões no terceiro trimestre, superando o montante R$ 415,5 bilhões registrados no segundo trimestre. Os dados são da consultoria Economatica, que aponta a valorização do dólar no terceiro trimestre (alta de 28,05%) como o motivo para o crescimento da dívida.

A dívida bruta é a que a empresa possui com despesa financeira (tomada de instituições financeiras), enquanto a dívida total líquida é a dívida total bruta menos o caixa.

No final do mês de setembro a Economatica fez uma estimativa, onde alertava que a dívida da Petrobras no terceiro trimestre poderia atingir R$ 512,2 bilhões devido à valorização da dívida em moeda estrangeira que possui.

A dívida da empresa no primeiro trimestre de 2003 era de R$ 31 bilhões e em dezembro de 2010 de R$ 117,9 bilhões.

De acordo com os dados da Economatica, a Petrobras tem a segunda maior dívida bruta em dólares da América Latina e Estados Unidos.

Considerando que o total da dívida bruta da Petrobras fosse em dólares o valor seria de US$ 127,5 bilhões, ficando atrás apenas da General Eletric (GE), com US$ 226,5 bilhões.

A Petrobras divulgou na noite da quinta-feira (12) um prejuízo de R$ 3,75 bilhões no terceiro trimestre deste ano. Esse resultado é o terceiro maior prejuízo já registrado pela empresa em sua história. Os dois maiores prejuízos foram registrados no quarto trimestre de 2014 (com R$ 26,6 bilhões) e no terceiro trimestre de 2014 (R$ 5,33 bilhões). 

Dívida líquida e caixa

A Petrobras atingiu R$ 402,3 bilhões em setembro de 2015, no primeiro trimestre de 2003 era de R$ 15,8 bilhões e em dezembro de 2010 de 61,5 bilhões.

No primeiro trimestre de 2003 o caixa da Petrobras era de R$ 15,2 bilhões, em dezembro de 2010 de R$ 56,3 bilhões e no terceiro trimestre de 2015 de R$ 104,2 bilhões.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.