Tamanho do texto

Acidente matou quatro pessoas; como jato é de fabricação americana, comunicação a autoridades do país é obrigatória

Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), chegou às 8h10 desta quarta-feira (11) a Guarda-Mor, cidade mineira na divisa com Goiás onde caiu o jato que transportava dois executivos do Bradesco. O acidente ocorreu na noite de terça-feira (10) e matou também piloto e copiloto.

Queda da aeronava que levava executivos do Bradesco abriu cratera; corpos foram carbonizados
Divulgação/Corpo de Bombeiros de Catalão - 10.11.15
Queda da aeronava que levava executivos do Bradesco abriu cratera; corpos foram carbonizados

O objetivo dos militares é recolher peças da aeronave, documentos, imagens e depoimentos de testemunhas. Não há prazo para conclusão dos trabalhos de apuração, informou o orgão, em nota. Também serão levantados dados sobre a meteorologia da rota, o plano de voo da aeronave e a imagem radar do deslocamento.

O National Transportation Safety Board (NTSB), orgão de segurança aérea do governo dos Estados Unidos foi comunicado, pois o jato foi fabricado naquele país. A notificação é exigida pela legislação internacional sobre a aviação civil.

O acidente

Segundo a polícia de Guarda-Mor, o choque da aeronave com o solo foi tão violento que não houve condições de identificar os corpos, que ficaram carbonizados. Ainda não se sabe se o jato - um Cessna Citation VII - explodiu no ar ou no contato com o solo.

O avião, que viajaria de Brasília para São Paulo, perdeu contato com os radares às 19h04, segundo a Força Aérea Brasileira (FAB). Os bombeiros foram acionados às 19h45. Cinco viaturas de Catalão, a cidade mais próxima de Guarda-Mor (a 409 km de Belo Horizonte) em condições de fazer o resgate, foram até o local e chegaram à propriedade rural onde o jato se espatifou por volta das 20h40. Ainda havia fogo na área, que foi controlado sem muita dificuldade.

O acidente matou Marco Antonio Rossi, presidente do Grupo Bradesco Seguros e vice-presidente do Bradesco; Lúcio Flávio Condurú de Oliveira, presidente da Bradesco Vida e Previdência; Ivan Morenilla Vallim, comandante da aeronave, e Francisco Henrique Tofoli Pinto, copiloto.

Veja a nota divulgada pelo Bradesco sobre o acidente

"Com profundo pesar, a Organização Bradesco comunica o falecimento, em razão de acidente aéreo no início da noite de ontem, dos nossos colegas e amigos Marco Antônio Rossi, presidente da Bradesco Seguros e vice-presidente do Bradesco, Lúcio Flávio Condurú de Oliveira, presidente da Bradesco Vida e Previdência, Ivan Morenilla Vallim, comandante da aeronave, e Francisco Henrique Tofoli Pinto, copiloto.

Reconhecidos pelo talento, competência e entusiasmo no trabalho, fraternal convivência com suas equipes e plena dedicação às suas famílias, eles cumpriram carreiras brilhantes.

Os desaparecimentos prematuros interrompem tragicamente trajetórias profissionais marcadas por vitórias e conquistas, exemplares para todos os que com eles conviveram e que serão referência para as nossas novas gerações.

Aos amigos, colegas, colaboradores e, de modo especial, às famílias que sofreram perdas tão duras e repentinas, a Organização Bradesco expressa, comovida, nossas sinceras condolências."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.