Tamanho do texto

Maioria dos bancos manteve taxas mensais para o cheque especial em novembro; só a Caixa reduziu os juros

Uma pesquisa de taxas de juros realizada pelo Procon-SP e divulgada nesta segunda-feira (9) apontou que, das sete instituições financeiras que fazem parte da amostra somente o Santander elevou ambas as taxas de cheque especial e empréstimo pessoal.

No geral, puxado pela redução da Caixa, taxa do cheque especial apresentou leve queda
Marcos Santos/ USP IMAGENS
No geral, puxado pela redução da Caixa, taxa do cheque especial apresentou leve queda

O Santander alterou o juro do cheque especial de 14,84% para 14,95% ao mês, o que significa uma variação positiva de 0,74% em relação à outubro. Todos os outros bancos mantiveram as taxas neste quesito, exceto a Caixa Econômica Federal, que alterou a taxa de 11,38% para 10,98% mensais, uma queda de 3,51% em relação ao mês anterior.

De acordo com o levantamento, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 12,24% a.m., inferior à do mês anterior que foi de 12,28% a.m., representando uma redução de 0,04 ponto percentual.

Empréstimo pessoal

A maior alta verificada nesta linha de crédito em novembro também foi no Santander, que alterou de 7,99% para 8,49% ao mês. Isso representa um aumento de 6,26% em relação à taxa de outubro. As outras altas foram encontradas no período foram na Caixa Econômica Federal (4,17 %) e no Itaú (2,72%). Os demais bancos mantiveram suas taxas.

No acumulado, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,39% ao mês, superior à do mês anterior (6,27%), representando um acréscimo de 0,12 ponto percentual.

A reportagem do iG entrou em contato com o banco, que disse que "avalia constantemente as condições do mercado para oferecer aos clientes a melhor relação entre custo e benefício em seus produtos e serviços". No caso do cheque especial, por exemplo, o Santander ressaltou que é o único a oferecer dez dias sem juros por mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.