Tamanho do texto

Leka Peres usou redes sociais para denunciar decorações da lanchonete que considerou machistas; proprietário a ofendeu

Leka reproduziu fotos de uma conversa com o proprietário na rede social, na qual ele a insulta com diversos termos pejorativos
Reprodução/Facebook
Leka reproduziu fotos de uma conversa com o proprietário na rede social, na qual ele a insulta com diversos termos pejorativos

A jornalista Leka Peres utilizou sua página no Facebook para denunciar ameaças que recebeu do dono da lanchonete The Dog Haüs após criticar placas decorativas, de cunho machista. Na postagem, Leka reproduziu fotos de uma conversa com o proprietário na rede social, na qual ele a insulta com diversos termos pejorativos.

Na quarta-feira (4) a jornalista utilizou as redes sociais para criticar dois cartazes da rede The Dog Haüs. Ela reconheceu a qualidade dos produtos e do atendimento da empresa, mas afirmou que o conteúdo das decorações era machista. Um dos cartazes dava dicas e cobrava por respostas a serem dadas para despistar namoradas. Já o outro sugere: "Homens: sem camiseta, sem serviço; Mulheres: sem camiseta, bebida gratuita".

Ao cobrar uma resposta da empresa, a jornalista obteve uma resposta ofensiva. "Caramba Qt gente infeliz nesse mundo, isso é decoracao bando de babaca, aqui repaeotos a todos, ficou ofendido??? Come HotDog em outro pico", respondeu a lanchonete, aumentando a indignação de internautas que acompanhavam o caso.

Em sua postagem mais recente, Leka apresentou fotos de uma conversa online que teve com o dono da empresa, Shemuel Shoel, na qual o proprietário a ofendeu de diversas maneiras. “Estava levando na esportiva, tinha recebido algumas mensagens machistas, homofóbicas e de cunho pessoal. Mas agora fui ameaçada pelo dono do The Dog Haus, que finalmente mostrou todo seu preconceito e ódio, pois se sentiu valentão depois de ler alguns comentários em seu favor. Pois não ficará impune! Como disse AMANHÃ VAI SER MAIOR E MAIOR E MAIOR. MACHISTAS NÃO PASSARÃO”, escreveu Leka.

Nos comentáros, outros internautas também demonstraram indignação com o ocorrido. “Protesto nesse ambiente preconceituoso! bora!”, afirmou uma usuária. Um outro afirmou que não seria mais cliente da lanchonete por conta do ocorrido. “Além de machista, agora tá apelando pra homofobia? Que otário. Miga, conta comigo pra o que for, qualquer coisa fazemos um multirao pra tirar o perfil desse babaca do ar”, escreveu ainda outra internauta.

Na conversa, Shemuel se referiu a Leka como “palhaça”, “sapatão” e “putinha”. “Qualquer dia você vai se surpreender, pode esperar!!! Gente que fala o que não deve dá nisso!!”, ameaçou o empresário.

O iG  tentou contato com a empresa mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Imagens da conversa entre Leka e Shemuel:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.