Tamanho do texto

Investidores planejam cobrar R$ 174,6 bilhões em ação pelos prejuízos com a queda do preço das ações na bolsa de valores

Ativista do Greenpeace segura cartaz com o personagem Pinóquio e dizeres
Michael Sohn/AP - 25.9.15
Ativista do Greenpeace segura cartaz com o personagem Pinóquio e dizeres "Sem mais mentiras" em frente a uma fábrica da Volkswagen na Alemanha

O escândalo da manipulação de testes sobre as emissões de motores a diesel da Volkswagen pode trazer novos prejuízos para a fabricante alemã. O poderoso sindicato metalúrgico alemão Ig Metall anunciou que irá agir contra demissões, enquanto investidores estudam mover uma ação de € 40 bilhões (R$ 174,6 bilhões) contra os principais acionistas da empresa.

O líder sindical Joerg Hofmann disse, em entrevista à mídia alemã, que os funcionários não têm nenhuma responsabilidade pelo escândalo e que "o sindicato fará todo o possível para garantir que os empregados não tenham que pagar pelos danos provocados pela direção". A imprensa da Alemanha fala em cerca de 6 mil demissões.

O advogado da Google, da Sony e da Fifa, Quinn Emanuel, por sua vez, está juntando investidores da empresa para entrar com um processo pedindo 40 bilhões de euros da empresa em indenização, informou o jornal "The Sunday Telgraph".

O magistrado alega "falta fundamental de honestidade" no caso, que resultou em quedas enormes no preço das ações da empresa, que podem piorar nos próximos dias, com multas e recalls.

Assim, enquanto aumenta o raio das investigações, que chegou à sede francesa em Villers-Cotterets, o grupo alemão tenta salvar sua imagem. A Volks tem comprado páginas em jornais italianos para pedir desculpas aos clientes. "Recentemente, cometemos um erro grave e comprometemos a relação de confiança que sempre nos ligou. Pedimos desculpas a todos, em primeiro lugar a vocês, nossos clientes", diz a propaganda.

Em setembro, a empresa confessou ter usado intencionalmente um sofisticadíssimo software criado para enganar os controles de emissões de poluentes em alguns de seus carros a diesel.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.