Tamanho do texto

Investigação constatou que, somente em dívidas tributárias, a empresa acumula R$ 97 milhões em obrigações não recolhidas

Uma auditoria contratada pela atual administração da Unimed Paulistana indicou que os problemas financeiros da empresa foram causados por má gestão. A investigação nas contas da operadora foi feita pela PWC Consultores e PPC Auditores Independentes.

Investimento de R$ 10 milhões, no ano passado, em serviços que não puderam ser comprovados
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Investimento de R$ 10 milhões, no ano passado, em serviços que não puderam ser comprovados

Com base nos resultados preliminares da apuração, os advogados da Unimed enviaram ao Ministério Público Federal em São Paulo um pedido de abertura de inquérito criminal para investigar a possível prática de gestão fraudulenta. Somente em dívidas tributárias, a empresa acumulou mais de R$ 97 milhões em obrigações não recolhidas.

As informações também foram enviadas à comissão parlamentar de inquérito (CPI) que investiga os problemas com planos de saúde na Câmara Municipal de São Paulo, que repassou o material à Agência Brasil.

Entre os problemas apontados pelos auditores, está o investimento de R$ 10 milhões, feito no ano passado, em serviços que não puderam ser comprovados. “Pudemos constatar, na realidade, que, nos contratos assinados, não houve, apesar de constar no objetivo de cada contrato, um planejamento claro e conciso das atividades a desenvolver para ser imposto aos contratados. Também não existiam elementos, tais como relatórios periódicos para possibilitar avaliar e mensurar o desempenho das atividades”, destaca o relatório.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.