Tamanho do texto

A parada na fábrica ocorre em meio a discussões da empresa com representantes sindicais a respeito de um número de funcionários excedentes na unidade de cerca de 2 mil

A Volkswagen antecipou em dois dias a parada de produção de fim de ano em sua fábrica em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, concedendo licença remunerada de dois dias a partir desta quinta-feira (11) a cerca de 11 mil trabalhadores, informou o sindicato de metalúrgicos da região.

A concessão de licença remunerada ocorre antes dos trabalhadores entrarem em férias a partir da próxima semana até 5 de janeiro, em um momento em que as vendas de veículos no mercado interno e as exportações do país ainda não conseguiram reverter um quadro de mais de 400 mil veículos novos estocados na indústria.

Segundo a Volkswagen, a licença foi concedida "em razão do atual cenário e com o propósito de adequar os volumes de produção e estoques à previsão das condições de mercado para os próximos meses".

A companhia afirmou ainda que decidiu pela concessão da licença a todos os empregados horistas e mensalistas "que acompanham a cadeia produtiva da unidade Anchieta".

A montadora alemã acumula vendas em 2014 até novembro de cerca 515,5 mil automóveis e comerciais leves, segundo dados da associação de montadoras Anfavea. O volume representa uma queda de 15% sobre os 605,4 mil unidades comercializadas no mesmo período de 2013. Enquanto isso, as vendas do segmento como um todo registram queda de 8% no país.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a unidade da Volkswagen em São Bernardo do Campo produziu 90 mil veículos a menos este ano que no ano passado.

Segundo a Volkswagen, os trabalhadores de setores administrativos da fábrica de São Bernardo não terão a licença, mas entrarão em férias coletivas a partir da próxima segunda-feira, voltando junto com os funcionários da produção no início de janeiro.

A parada na fábrica da companhia ocorre em meio a discussões da empresa com representantes sindicais a respeito de um número de funcionários excedentes na unidade de cerca de 2 mil trabalhadores, informou o sindicato.

Na semana passada, os trabalhadores rejeitaram proposta de mudanças em acordo com a companhia que prevê estabilidade de emprego na unidade até 2016.

Em novembro, cerca de 780 funcionários da fábrica voltaram de período de suspensão de contrato de trabalho (lay-off) que durou cinco meses, informou o sindicato.

Além da parada da fábrica da Volkswagen na cidade, a unidade de caminhões e ônibus da Mercedes-Benz iniciou férias coletivas entre cerca de 10 mil metalúrgicos no início deste mês. Os trabalhadores voltarão a seus postos em 5 de janeiro, segundo o sindicato.