Tamanho do texto

Executivo da empresa de telecomunicação disse, no entanto, que pretende analisar dados financeiros e operacionais da rival

O presidente da TIM Brasil, Rodrigo Abreu, reafirmou esta quarta-feira (10) que a companhia tem condições de se manter no mercado sem precisar de uma fusão com a Oi, mas que a empresa pretende analisar dados financeiros e operacionais da rival para saber se eventualmente haverá oportunidade para uma consolidação.

"Nós acreditamos que temos não só saúde como capacidade de permanência", disse Abreu a jornalistas quando questionado sobre a avaliação pela companhia de alternativas estratégicas no país.

A controladora da TIM, Telecom Italia, afirmou no final de novembro que iria avaliar opções envolvendo uma união de sua unidade brasileira com a Oi.

"Em tese, você tem duas operações grandes que se juntam, você tem oportunidades muito grandes de ganhos de sinergias. Essa é a lógica de qualquer tipo de fusão", disse Abreu.

Segundo o executivo, no caso da Oi, "a questão é entender todos os indicadores financeiros, estrutura de dívida, de passivos que não são conhecidos em detalhe pelo mercado", afirmou.