Tamanho do texto

Decisão foi tomada em um período de dificuldades da indústria automobilística brasileira

Reuters

Cinco meses após inaugurar uma fábrica no Brasil, a Nissan anunciou nesta quarta-feira (10) a suspensão temporária do contrato de trabalho de 279 funcionários de fábrica em Resende (RJ), num momento de baixa atividade do mercado automobilístico nacional.

"Em função da redução da demanda do mercado automotivo brasileiro registrada nos últimos meses, e como tem tem sido aplicada por outros fabricantes do setor. A Nissan decidiu adotar a suspensão temporária do contrato de trabalho para 279 funcionários", informou a empresa, em nota.

A montadora japonesa inaugurou sua primeira fábrica própria no Brasil abril, com investimentos de R$ 2,6 bilhões para produção de modelos compactos. Na época, o presidente da aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, afirmou que a meta era alcançar 5 por cento do mercado brasileiro de veículos. 

Veja os modelos de carros mais vendidos no Brasil em agosto:


A unidade, com capacidade de produzir 200 mil veículos e motores por ano, tem cerca de 1,8 mil funcionários. A empresa não informou por quanto tempo vale a suspensão.

Segundo a companhia, a medida teve aprovação do sindicato dos trabalhadores e visa a preservar os empregos. Segundo a Nissan, a decisão não afetará o abastecimento das concessionárias.

"A Nissan reafirma que mantém todos os seus investimentos e projetos previstos para o Braasil", complementa a nota.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.