Tamanho do texto

Para o Conselho Nacional de Autorregulamentação, denúncia sobre possível propaganda enganosa da Ambev é improcedente

O Conselho de Ética do Conselho Nacional de Autorregulamentação, o Conar, decidiu em sua última reunião que a Ambev de fato plantou cevada na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), que durante a Copa do Mundo serviu de concentração para a Seleção Brasileira.

Ambev divulgou foto da área na Granja Comary com a cevada plantada
Divulgação
Ambev divulgou foto da área na Granja Comary com a cevada plantada

A indústria de bebidas lançou na época do Mundial uma edição especial da cerveja Brahma que teria sido feita com cevada plantada na Granja Comary. Quando a bebida foi lançada com esse apelo, um consumidor se sentiu enganado pela propaganda e entrou com uma queixa no Conar. Para o denunciante, era difícil imaginar que o local teria uma área suficiente para atender a demanda da Ambev. O caso acaba de ser arquivado.

A queixa do consumidor chegou ao Conar no início de abril, mas a decisão foi dada no último dia 4.

Leia tambémCaso da Brahma com cevada da Granja Comary vai parar no Conar

Edição especial da Brahma foi vendida por R$ 9,99
Divulgação
Edição especial da Brahma foi vendida por R$ 9,99

Na época da Copa, Luciano Horn, mestre-cervejeiro da Ambev, disse ao iG que a cevada foi plantada, mas já teria sido colhida naquela ocasião. Para garantir a procedência da matéria-prima, a Ambev disponibiliza um vídeo para mostrar o plantio. Ainda de acordo com o especialista, a área começou a ser preparada no fim de 2013 e a cevada foi colhida em janeiro passado.

Naquela ocasião, a Ambev informou por meio de nota que havia de fato plantado a cevada na Granja Comary e que a colheita aconteceu no começo de 2014.

Ainda de acordo com a dona da Brahma, o cereal foi beneficiado, transformado em malte e utilizado na produção da cerveja. "Se hoje não há cevada na Granja Comary, é justamente porque o cereal foi usado no produto que já está sendo comercializado no mercado", informou a empresa por meio de nota.

A edição especial da Brahma, engarrafada em embalagens de alumínio de 473 ml, foi vendida por R$ 9,99.

Veja as propaganda mais polêmicas de 2013:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.