Tamanho do texto

Empregada da AeC Centro de Contatos poderia ser advertida publicamente caso passasse mais de cinco minutos no banheiro

Empregada poderia ser repreendida publicamente se gastasse mais de 5 minutos no banheiro
Purestock/Thinkstock/Getty Images
Empregada poderia ser repreendida publicamente se gastasse mais de 5 minutos no banheiro

A AeC Centro de Contatos terá de pagar R$ 5 mil em indenização por danos morais a uma funcionária que teve o uso do banheiro restringido pela empresa. A empregada da unidade de Campina Grande (PB) tinha cinco minutos para suas necessidades fisiológicas e era ameaçada de advertência pública caso desobedecesse essa regra.

Em princípio, a trabalhadora teve seu pedido indeferido, uma vez que a 1ª Vara do Trabalho de Campina Grande (PB) entendeu que a ação da empresa era apenas um controle de excessos cometidos por outros funcionários. O primeiro recurso da ex-funcionária também foi negado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região (PB)

No entanto, após recorrer novamente da decisão, agora ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), a ex-funcionária terá direito a indendização por dano moral. Para a relatora do processo, ministra Dora Maria da Costa, trata-se de um ato lesivo, que dispensa outras provas de dano efetivo à trabalhadora. 

Outro lado

Contata pelo iG , a empresa não havia manifestado sua posição sobre o caso até a publicação desta reportagem. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.