Tamanho do texto

Problema ligado a recall de quase 3,4 milhões de veículos é semelhante ao defeito ligado a pelo menos 13 mortes

Reuters

A General Motors disse que uma chave de ignição com defeito ligada ao recall de quase 3,4 milhões de carros foi feita na China, onde uma outra montadora descobriu um problema no início deste ano.

A principal montadora dos Estados Unidos disse em um documento submetido na terça-feira (24) aos reguladores de segurança dos EUA que a chave usada no Chevrolet Impala e Monte Carlo, Buick LaCrosse e Lucerne, e carros Cadillac DeVille e DTS, que foram convocados para o recall em 16 de junho, foi feita pela empresa baseada na China Dalian Alpes Electronics.

O problema da chave é semelhante ao defeito ligado a pelo menos 13 mortes em um recall anterior de 2,6 milhões de veículos Chevy Cobalt, Saturno Ions e outros carros, que levaram a uma multa recorde nos EUA de US$ 35 milhões e a inúmeras investigações federais e estaduais.

- Veja também: Escândalo da GM: conheça as histórias de sobreviventes

Em ambos os casos, a chave de ignição pode ser alterada da posição de "mover", potencialmente afetando a direção hidráulica, freios e airbags.

Ao contrário do recall ligado às 13 mortes, a GM disse que as chaves de ignição no mais recente recall não precisavam ser substituídas, mesmo estando "ligeiramente" abaixo da especificação da empresa para o torque - a força necessária para mover a chave da posição de funcionamento.

Em vez disso, a GM disse que vai substituir ou reformular as chaves de ignição para eliminar uma fresta no final da chave que permite que um chaveiro balançando deslize para um lado e puxe a chave de ignição, tirando-a da posição de "mover".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.