Tamanho do texto

O governo da França ainda tem que se pronunciar sobre os acordos antes da decisiva reunião do Conselho da empresa

Reuters

A Siemens e a Mitsubishi Heavy Industries (MHI) elevaram sua oferta conjunta para o braço de energia da Alstom nesta sexta-feira (20), desafiando a renovada oferta da General Electric conforme o prazo para a decisão se aproxima.

Presidente francês disse que vai vetar qualquer acordo que não proteger os empregos franceses e o controle sobre atividades estratégicas
Getty Images
Presidente francês disse que vai vetar qualquer acordo que não proteger os empregos franceses e o controle sobre atividades estratégicas

O governo do presidente da França, François Hollande, que disse que vai vetar qualquer acordo que não proteger os empregos franceses e o controle sobre atividades estratégicas, ainda tem que se pronunciar sobre os acordos antes da decisiva reunião do Conselho da Alstom, marcada para segunda-feira no mais tardar.

O líder francês deve consultar nesta sexta-feira seus principais ministros antes de realizar nova rodada de discussões com representantes da GE e Siemens-MHI, que poderá selar o destino do combalido grupo de engenharia de 86 anos de idade, no centro de uma das mais ferozes batalhas industriais da Europa em anos.

Respondendo a uma nova oferta da GE na quinta-feira feita com o objetivo de apaziguar as preocupações políticas francesas, Siemens e MHI simplificaram a estrutura da sua oferta e elevaram sua componente em dinheiro em € 1,2 bilhão (US$ 1,64 bilhão), para € 8,2 bilhões.

Isso avalia as empresas de energia da Alstom em € 14,6 bilhões, disse a Siemens, 400 milhões a mais que na oferta anterior e ainda bem acima dos € 12,4 bilhões da GE.

"Essa proposta é superior industrialmente, financeiramente e socialmente", informou a Siemens, reafirmando compromissos para criar novos postos de trabalho na França, compromisso que o conglomerado norte-americano também assumiu.

- CEO da Siemens diz estar "confortável" com processo de oferta por Alstom

A nova proposta da Siemens-MHI ainda prevê a compra do braço de turbina a gás da Alstom pela Siemens. Mas a MHI está se oferecendo agora para comprar participação de 40% no negócio combinado hídrico, de vapor e de redes, empacotando-os em uma única companhia em vez de três joint ventures, um plano que fontes da Alstom tinham dito ser demasiado pesado.

O grupo francês reafirmou que seu Conselho irá se reunir até segunda-feira para analisar as ofertas e que não planejava fazer mais nenhuma declaração nesse meio tempo.

Na quinta-feira, a GE apresentou uma oferta atualizada para comprar a unidade de energia e redes do grupo da Alstom, que irá incluir duas joint ventures em redes e energia renovável e uma aliança global nuclear.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.